'>

Novidades

1 2 3 4

28 de março de 2015

Found Footage - Proibidos da WEB ( + 18 )


A origem destes vídeos são bem duvidosas, umas ate mesmo desconhecidas, mas uma coisa posso lhes garantir são sinistros. O primeiro (4) videos e de uma santa que abriu os olhos em uma catedral no México em Guadalajara. O segundo (3) vídeo foi encontrado por internautas que vagavam pela deep web e o seu nome e " Evidencia em seu rosto ". O terceiro (2) é um vídeo que gerou comentários e duvidas, muitos disseram ser fake, vídeo de um ritual de reencarnação. O quarto (1) e um vídeo de um experimento russo na segunda guerra mundial. O vídeo bônus muitos disseram ser mensagens subliminares, mas sobre o que ? A maior verdade e que vídeos como estes eram utilizados por russos na guerra fria para amedrontar hackers americanos .Veja por sua conta em risco.


4 -



3 -

2 -




1 -



BÔNUS

 



23 de março de 2015

Chernobyl



No ano de 1986, os operadores da usina nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, realizaram um experimento com o reator 4. A intenção inicial era observar o comportamento do reator nuclear quando utilizado com baixos níveis de energia. Contudo, para que o teste fosse possível, os responsáveis pela unidade teriam que quebrar o cumprimento de uma série de regras de segurança indispensáveis. Foi nesse momento que uma enorme tragédia nuclear se desenhou no Leste Europeu.
Entre outros erros, os funcionários envolvidos no episódio interromperam a circulação do sistema hidráulico que controlava as temperaturas do reator. Com isso, mesmo operando com uma capacidade inferior, o reator entrou em um processo de superaquecimento incapaz de ser revertido. Em poucos instantes a formação de uma imensa bola de fogo anunciava a explosão do reator rico em Césio-137, elemento químico de grande poder radioativo.
Com o ocorrido, a usina de Chernobyl liberou uma quantidade letal de material radioativo que contaminou uma quilométrica região atmosférica. Em termos comparativos, o material radioativo disseminado naquela ocasião era assustadoramente quatrocentas vezes maior que o das bombas utilizadas no bombardeio às cidades de Hiroshima e Nagasaki, no fim da Segunda Guerra Mundial. Por fim, uma nuvem de material radioativo tomava conta da cidade ucraniana de Pripyat.

Ao terem ciência do acontecido, autoridades soviéticas organizaram uma mega operação de limpeza composta por 600 mil trabalhadores. Nesse mesmo tempo, helicópteros eram enviados para o foco central das explosões com cargas de areia e chumbo que deveriam conter o furor das chamas. Além disso, foi necessário que aproximadamente 45.000 pessoas fossem prontamente retiradas do território diretamente afetado.
Para alguns especialistas, as dimensões catastróficas do acidente nuclear de Chernobyl poderiam ser menores caso esse modelo de usina contasse com cúpulas de aço e cimento que protegessem o lugar. Não por acaso, logo após as primeiras ações de reparo, foi construído um “sarcófago” que isolou as ruínas do reator 4. Enquanto isso, uma assustadora quantidade de óbitos e anomalias indicava os efeitos da tragédia nuclear.
Buscando sanar definitivamente o problema da contaminação, uma equipe de projetistas hoje trabalha na construção do Novo Confinamento de Segurança. O projeto consiste no desenvolvimento de uma gigantesca estrutura móvel que isolará definitivamente a usina nuclear de Chernobyl. Dessa forma, a área do solo contaminado será parcialmente isolada e a estrutura do sarcófago descartada.
Apesar de todos esses esforços, estudos científicos revelam que a população atingida pelos altos níveis de radiação sofre uma série de enfermidades. Além disso, os descendentes dos atingidos apresentam uma grande incidência de problemas congênitos e anomalias genéticas. Por meio dessas informações, vários ambientalistas se colocam radicalmente contra a construção de outras usinas nucleares.



Os bombeiros que foram chamados para controlar o incêndio receberam altas doses de radiação: 31 pessoas morreram na hora, 132 foram hospitalizadas e 130 000  pessoas tiveram que ser evacuadas da região. Outras pessoas morreram dias depois. Calcula-se que esse acidente causou a morte de cerca de 28 mil pessoas, deixando muitas outras com graves sequelas, causadas pela exposição ao material radioativo. Ao longo do tempo, começaram a aparecer vários casos de câncer; principalmente na glândula tireoide de crianças. Adultos e crianças contraíram leucemia após lesões na medula óssea e muitas mulheres grávidas de até quatro meses tiveram filhos com malformação genética.

Os Liquidadores


Sobre Chernobyl foram contadas muitas mentiras. E foram contadas por muitas pessoas, desde as autoridades soviéticas da época até a indústria nuclear ocidental, passando pelos propagandistas de todos os tipos e a coleção de conspiracionistas habituais. Há uma delas que me molesta de modo particular, e é a de que os liquidadores – quase um milhão de pessoas que se encarregaram do problema – eram uma horda de pobres ignorantes levados lá sem saberem a classe de monstro que tinham na frente. E molesta-me porque constitui um desprezo ao seu heroísmo.
E também porque é radicalmente falso. Uma turba ignorante não serve para nada em um acidente tecnológico tão complexo. As equipes de liquidadores estavam compostas, principalmente, por bombeiros, cientistas e especialistas da indústria nuclear; tropas terrestres e aéreas prontas para a guerra atômica e engenheiros de minas, geólogos e mineradores de urânio, pela sua ampla experiência na manipulação dessas substâncias. É néscio supor que estas pessoas ignoravam os perigos de um reator nuclear destripado cujos conteúdos você vê brilhar na frente dos seus olhos num enorme buraco.

Os liquidadores sabiam o que tinham perante si, e apesar disso realizaram o seu trabalho com enorme valor e responsabilidade. Centenas, milhares deles, de maneira heróica: os bombeiros que se alternavam entre vômitos e diarréias radiológicas para subir ao míticotelhado de Chernobyl, onde havia mais de 40.000 Roentgens/hora, para apagar dali os incêndios (a radiação ambiental normal é de uns 20 microrroentgens/hora); os pilotos que detinham os seus helicópteros por cima do reator aberto e refulgente para esvaziar sobre ele areia e argila com chumbo e boro; os técnicos e soldados que corriam a toda velocidade pelas galerias devastadas comunicando aos gritos as leituras dos contadores Geiger e os cronômetros para romper paredes, restabelecer conexões e bloquear canalizações em períodos de quarenta ou sessenta segundos junto às turbinas (20.000 roentgens/hora); os mineradores e engenheiros que trabalhavam em túneis subterrâneos, inundando-se constantemente com água de sinistro brilho azul, para instalar os canos de um extrator de calor que roubasse algo de temperatura ao núcleo fundido e radiante, a escassos metros de distância; os milhares de trabalhadores e arquitetos que levantavam o sarcófago ao seu redor, retiravam do entorno os escombros furiosamente radioativos e evacuavam a população.
Salvo os soldados submetidos a disciplina militar, ninguém era proibido de ir embora se não quisesse continuar ali; mas quase ninguém o fez. Ao contrário, muitos chegaram como voluntários de toda a URSS, especialmente muitos estudantes e pós-graduados das faculdades de física e engenharia nuclear. Esta foi a classe de homens e não poucas mulheres que alguns acreditam ou querem acreditar que foram uma ignorante e patética turba. Esses foram os liquidadores.

Chamavam-lhes, e chamavam-se a si próprios, os bio-robôs, porque continuavam funcionando quando o aço cedia e as máquinas paravam. Não o fizeram pelo dinheiro, nem pela fama, que foi praticamente inexistente. O fizeram por responsabilidade, pela humanidade e porque alguém tinha que fazer o maldito trabalho. Hoje quero falar de três deles, que fizeram algo ainda mais extraordinário num lugar onde o heroísmo era coisa corrente. Por isso, só ocorre-me denominá-los: os três super-heróis de Chernobyl.

Os Três Heróis Esquecidos ( Chernobyl )


Os dois primeiros a oferecerem-se como voluntários foram Alexei Ananenko e Valeriy Bezpalov. Alexei Ananenko era um prestigiado tecnólogo da indústria nuclear soviética, que participara extensivamente no desenvolvimento e construção do complexo eletronuclear de Chernobyl. Ele cooperou no desenho das eclusas e sabia exatamente onde estavam as válvulas. Era casado e tinha um filho.
Valeriy Bezpalov era um dos engenheiros que trabalhavam na central, ocupando um posto de responsabilidade no departamento de exploração. Também era casado, e tinha uma menina e dois meninos de poucos anos.
Os dois eram engenheiros nucleares. Os dois compreendiam além de qualquer dúvida que estavam se dispondo a caminhar para a morte.
Enquanto vestiam suas roupas de mergulho, sentados num banco, observaram que precisariam de um ajudante para segurar a lâmpada subaquática desde a borda da piscina enquanto eles fossem trabalhar nas profundidades. E olharam aos olhos dos homens que tinham ao redor. Então um deles, um jovem rapaz trabalhador da central, sem família, chamado Boris Baranov, se levantou e disse aquela outra frase que quase sempre segue a anterior:
- Eu irei com vocês.
No meio da manhã, os heróis Alexei Ananenko, Valery Bezpalov e Boris Baranov tomaram um gole de vodka para se encorajar, pegaram as caixas de ferramentas e começaram a andar em direção à lava radioativa em que se convertera o reator número 4 do complexo eletro nuclear de Chernobyl. Assim, sem mais.

Perante os olhos encolhidos dos que ficaram para trás, os três camaradas caminharam os mil e duzentos metros que havia até o nível -0,5, dizem que, conversando calmamente entre si: “Como vai? Quanto tempo sem ver você! E seus filhos? Você eu não conhecia, rapaz. … É que eu não sou daqui. Bem, parece que hoje vamos trabalhar um pouco juntos… Podemos descer melhor por aí, eu vou na válvula da direita e você a da esquerda, e você nos ilumina desde lá. … Parece que vai chover, não? Está boa a secretária do engenheiro Kornilov, hem? Sim, e que rebolado! … Parece que este ano os Dínamos de Moscou não vão ganhar o campeonato”. Essas coisas, que possivelmente falam os bio-robôs, enquanto vêem como a sua pele se escurece lentamente, e somem um pouco suas idéias pela ionização dos neurônios e sentem na boca cada vez mais o sabor de urânio causando náuseas, sacudindo-se incomodamente, porque sentem como se milhares de duendes maléficos estivessem dando agulhas na sua pele. Cinco mil roentgens/hora, é como chamam a isso.
E sob aquele céu cinzento e os restos fulgurantes de um reator nuclear, os heróis Alexei Ananemko e Valeriy Bezpalov submergiram-se na piscina de bolhas do nível -0,5, com uma radioatividade tão sólida que se podia sentir, enquanto o seu camarada Boris Baranov lhes segurava a lâmpada subaquática, que aliás, estava com defeito e falhou pouco depois. Do exterior, já ninguém os ouvia nem os via.
De repente, as eclusas começaram a abrir-se, e um milhão de metros cúbicos de água radioativa começou a jorrar para a o reservatório seguro, preparado para tal efeito. Eles haviam conseguido! Alguém murmurou que os heróis Ananenko, Bezpalov e Baranov acabavam de salvar a Europa. É difícil determinar até que ponto isso era verdade.
Há versões contraditórias sobre o que aconteceu depois. A mais tradicional diz que jamais regressaram, e que ainda estão sepultados lá. A mais provável assegura que conseguiram sair da piscina e celebrar a sua vitória rindo e abraçando-se aos mesmíssimos pés do monstro, na borda da piscina; outra diz que até recuperaram os seus corpos, embora não as suas vidas. Morreram pouco depois, de síndrome de radioatividade extrema, nos hospitais de Kiev e Moscou. Ainda outra versão, que parece quase impossível, sugere que Ananenko e Bezpalov morreram, mas que Baranov conseguiu sobreviver e anda ou andou um tempo por aí.
Esta é a história de Alexei Ananenko, Valeriy Bezpalov e Boris Baranov, os três super-herois de Chernobyl, de quem se diz que salvaram a Europa ou ao menos um ou outro milhão de pessoas a milhares de quilômetros ao redor, num frio dia de abril. Foram à morte conscientemente, deliberadamente, por responsabilidade e humanidade e sentimento da honra, para que os demais pudéssemos viver. Quando alguém pensar que nosso gênero humano não tem salvação, sempre pode lembrar de homens como estes e outras centenas ou milhares desse estilo que também estiveram lá. Não circulam fotos deles, nem fizeram superproduções de Hollywood sobre eles, e até os seus nomes são difíceis de encontrar. Porém hoje, vinte e quatro anos depois, eu brindo à sua lembrança, faço uma continência perante a sua memória e agradeço mil vezes. Por terem ido.

O Pé de Elefante


Essa foto é o mais próximo que a humanidade chegou de criar uma Medusa. Se você olhar diretamente para isso, você morre. Simples assim. A imagem provém de uma formação de "lava" do centro de um reator no porão da usina nuclear de Chernobyl. Ela se chama pé-de-elefante e pesa centenas de toneladas, mas só tem dois metros de extensão e algo como meio metro de altura.
A foto foi tirada com a ajuda de um espelho no canto do corredor, pois a câmera-robô enviada até lá para tirar fotos foi destruída pela radiação. Fotos em cor ou leituras sobre a temperatura da coisa ainda não foram divulgadas ao público, mas a idéia de algo que pode matar só de olhar para, apesar de saber a explicação racional acerca da radiação, é assustador.
A densidade do pé-de-elefante ultrapassa níveis e recordes para uma massa nuclear de suas proporções. Artigos da Wikipédia resumidos informam que o peso passa das 1200 toneladas, e que só perde cerca de 10 quilos de urânio por ano. Possui características de um monstro de ficção científica. A massa resiste ao ambiente e é protegida pelo abrigo nuclear da usina, a perda de 10 quilos anuais está estimada para se reduzir com o passar do tempo. Sim, com o passar dos anos o pé-de-elefante vai parar de perder massa. Este material é o "Corium". O "Corium" só é produzido durante desastres nucleares. O combustível sólido derrete se tornando um líquido extremamente quente que desfaz e destrói tudo em seu caminho. Aço, concreto, areia e qualquer coisa que encontrar, fundindo tudo em uma massa só. O pé-de-elefante é uma mistura de combustíveis, material radioativo e materiais do prédio, tendo se solidificado do mesmo modo que algo como o vidro.


FONTE  : 


 http://ocientista.com/25-fatos-assustadores-que-voce-deveria-saber-o-desastre-de-chernobyl/
http://www.coladaweb.com/quimica/quimica-nuclear/chernobyl-o-que-houve-afinal
http://www.ceticismoaberto.com/ciencia/6199/os-trs-super-heris-de-chernobyl
http://www.lendasnainternet.com/2012/11/pe-de-elefante-medusa-nuclear.html

16 de março de 2015

Os Maníacos de Dnepropetrovsk


    
                                            " No inicio eram apenas animais "


Conhecidos como os Maníacos de Dnepropetrovsk (Dnepropetrovsk Maniacs) pela denominação que a mídia deu aos monstros responsáveis por uma série de assassinatos em Dnepropetrovsk, na Ucrânia, nos meses de junho e julho de 2007. O caso ganhou notoriedade devido às gravações de alguns assassinatos, que acabaram caindo na internet. Dois jovens de 19 anos, Viktor Sayenko e Igor Suprunyuck foram acusados por cometerem 21 assassinatos e Alexander Hanzha, um terceiro cúmplice, foi acusado de dois assaltos a mão armada que ocorreram antes dos assassinatos. A maioria eram mulheres e crianças, todos com requintes de crueldade - batiam nas vitimas com martelos e barras de metal até a morte e filmavam com o celular. Alguns dos vídeos dos assassinatos caíram na internet, e um dos mais notórios é o assassinato de Sergei Yatzenko. Partes do vídeo se tornaram  virais conhecidos como 3 Guys 1 Hammer, um trocadilho com outro famoso vídeo de choque, 2 Girls 1 Cup. Alguns usuários do YouTube postaram as gravações de suas reações enquanto assistiam ao vídeo

Sobre os Assassinos:

Os seriais killers Igor Suprunyuck e Viktor Sayenko, se tornaram amigos na idade de 14 anos na escola em Dnepropetrovsk, na Ucrânia, junto com um terceiro rapaz, Alexander Hanzha. O trio logo descobriu que eles tinham uma coisa específica em comum: um desejo de superar seus medos. Suprunyuck e Sayenko temia alturas, e Hanzha sangue, e todos eles tinham medo de ser espancados por valentões. Seus esforços para se tornarem mais corajoso começou inocentemente com atividades como se pendurado de varandas, mas evoluiu para torturar e mutilar os cães, gatos e outros animais. Os assassinatos parecem ter sido a maneira de Suprunyuck e Sayenko de combater o medo das pessoas.

Após a formatura, eles começaram a sair juntos e Suprunyuck a roubar as pessoas. Hanzha foi preso por acusações não relacionadas antes da matança começar. Ele não participou dos assassinatos, mas foi condenado por participação em um dos roubos. Hanzha viria a denunciar a tortura de seus amigos aos animais, apesar de que a atividade em especial foi supostamente destinado a ajudá-lo a superar seus medos de sangue e de ferir os animais. O caso é notável que o trio, duo mais tarde, gravou a maioria de suas obras, incluindo os horrores que perpetravam em suas vítimas humanas e animais. Apesar dessa evidência, os jovens e suas famílias insistem que eles são completamente inocentes. Eles dizem terem sido enquadrados em uma conspiração para proteger os verdadeiros assassinos: altamente colocados, pessoas poderosas que estão acima da lei. 

Os Assassinatos:


Os dois primeiros assassinatos ocorreram na noite do dia 25 de junho de 2007. A primeira vítima foi Ekaterina Ilchenk, uma mulher de 33 anos que voltava para casa depois de tomar um chá com o namorado. Segundo confissão de Sayenko, ele e Sprunyuck haviam "saído para passear". Suprunyuck tinha um martelo. Foi ele quem deu golpes na cabeça de Ilchenk. O corpo dela foi encontrado pela mãe às 5 da manhã.

Três horas depois do primeiro assassinato, os garotos atacaram uma segunda vítima, Roman Tatarevich. Ele dormia em um banco perto do local onde havia sido feita a primeira vítima. A cabeça dele foi brutal e repetidamente golpeada com objetos tão pesados que seu rosto ficou irreconhecível.

Em 1º de julho, mais duas vítimas, Evgeniya Grischenko e Nikolai Serchuk foram encontrados mortas na cidade vizinha de Novomoskovsk.

Na noite de 6 de julho, mais três pessoas foram assassinadas em Dnepropetrovsk. O primeira foi o militar Egor Nechvoloda, que havia se alistado há pouco tempo. Ele foi espancado até a morte enquanto voltava para casa depois de ter ido a uma boate. Sua mãe encontrou o corpo pela manhã, próximo ao edifício de apartamentos na Rua Bohdan Khmelnystsky.

Elena Shram, uma guarda noturna de 28 anos, também havia sido morta perto de uma esquina na Rua Kosiora. Segundo a confissão de Sayenko, Shram caminhava até eles, quando Suprunyuck lhe bateu várias vezes com o martelo que estava escondido debaixo da sua camiseta, até que ela caiu no chão. Ela levava uma bolsa com roupas, que ele pegou e abriu, pegando algumas das roupas para limpar o martelo. Na mesma noite, mataram uma mulher chamada Valentina Hanzha (que não tinha parentesco com o terceiro cúmplice, Alexanbder Hanzha).

No dia seguinte, 7 de julho, dois garotos de 14 anos que eram vizinhos, foram atacados à luz do dia enquanto pescavam. Um do dois, Andrei Sidyuck, foi assassinado, mas o outro, Vadim Lyakhov, conseguiu escapar.

No dia 12 de julho, um homem de 48 anos chamado Sergei Yatzenko, desapareceu depois de sair com sua bicicleta. O corpo foi encontrado quatro dias depois, com sinais claros de ataque selvagem. O assassinato foi gravado pelos próprios assassinos. As filmagens vazaram na internet e o vídeo fficou conhecido como 3 Guys 1 Hammer.

Outros treze assassinatos se seguiram a esses, com a maioria dos corpos encontrados no mesmo dia. Pelo que parece, todas as vítimas foram escolhidas por acaso, ainda que fossem sempre frágeis ou estivessem debilitadas, como mulheres, crianças, idosos, mendigos ou pessoas embriagadas.

A maioria das vítimas foram assassinadas com objetos pesados como martelos e barras de aço. Batiam na cara, deixando as faces das vítimas totalmente desfiguradas e irreconhecíveis. Muitas vítimas foram torturadas e mutiladas. Não houve abuso sexual em nenhum caso. Em alguns deles, as vítimas tiveram os celulares roubados entre outros pertences para serem vendidos.

Os assassinatos se estenderam a um grande raio que ia além da cidade de Dnepropetrovsk. Alguns foram feitos em áreas dentro do distrito (oblast) onde se localizava a cidade.

Sobre 3 Guys 1 Hammer:

                 " Assassinato de Sergei Yatzenko - 3 Guys 1 Hammer"

O homem cujo assassinato é registrado no vídeo que vazou na internet, foi identificado como Sergei Yatzenko da vila de Taromskoye. Seu assassinato ocorreu no dia 12 de julho de 2007, e seu corpo foi encontrado em 16 de julho. Yatzenko tinha 48 anos, era casado e tinha dois filhos e um neto. Ele também tinha uma mãe com deficiência a quem ele cuidava. O fato de que o assassinato de Yatzenko foi registrada em vídeo era desconhecido do público até uma sessão de tribunal em 29 de outubro de 2008. O vídeo não editado do assassinato foi mostrado como parte de uma grande apresentação pelo Ministério Público, provocando um grande choque na platéia. O tribunal concordou com a acusação de que o vídeo era genuíno, que mostra Igor Suprunyuck atacando a vítima e que Viktor Sayenko era o homem por trás da câmera.

Em 11 de fevereiro de 2009, os três foram declarados culpados. Suprunyuck e Sayenko estão em prisão perpétua e Hanzha recebeu 9 anos de prisão. Os advogados de Suprunyuck e Sayenko declararam que recorrerão às acusações.


As investigações:

""
" Um dos garotos fazendo saudação nazista "

Não relacionaram os assassinatos realizados até 7 de julho com o ataque aos garotos em Podgorodnoye. Vadim Lyakhov, o sobrevivente, foi inicialmente preso, suspeito de assassinar o amigo. Não permitiram a ele pedir um advogado e foi espancado pela polícia durante o interrogatório. De qualquer forma, averiguaram rapidamente que ele não era o culpado pela morte de Andrei Sidyuck, e que esse assassinato estava relacionado ao recente massacre. Lyakhov ajudou a polícia fazendo o retrato falado dos culpados.
Vários dias depois, no dia 14 de julho, uma mulher de 45 anos chamada Natalia Mamarchuck estava conduzindo seu scooter no povoado vizinho de Diyovka. Quando passava por uma área arborizada, dois homens correram até ela e a derrubaram. Então tiraram uma arma pesada, possivelmente um martelo ou um cano, e golpearam-na até a morte. Quando ela parou de se mexer, no chão, os homens subiram na scooter e fugiram. O ataque foi visto de uma certa distância por várias pessoas do lugar. Tentaram persegui-los, mas logo perderam as pistas. Duas crianças também viram o ataque de perto, escondidos a alguns metros de onde Mamarchuck foi assassinada. Eles deram uma detalhada descrição dos assassinos que coincidia com o que Lyakhov havia falado anteriormente. Um grupo de investigação foi rapidamente criado em Kiev, liderado pelo investigador criminal Vasily Paskalov. Cerca de 2 mil investigadores trabalharam no caso.
A princípio a investigação foi feita em segredo. Sem informações oficiais acerca dos assassinatos e as pessoas não foram avisadas sobre possíveis ataques tampouco foram descritos os suspeitos. Ainda assim, rumores do assassinato mantiveram as pessoas em suas casas por várias noites. Os investigadores distribuíram alguns retratos dos suspeitos e listas de propriedades roubadas para as casas de empenho locais. As propriedades roubadas começaram a aparecer nas casas de empenhoda cidade do distrito de Leninskiy. A combinação dos retratos e as propriedades roubadas encontradas guiaram as autoridades até os suspeitos.

Motivação das mentes psicopatas:


A acusação não estabeleceu um motivo específico por trás dos assassinatos. A imprensa local informou que os assassinos tinham um plano para ficarem ricos a partir dos vídeos de assassinatos que eles gravavam - conhecidos como Snuff Films. Uma das namoradas dos suspeitos informou que eles estavam planejando fazer vídeos de quarenta assassinatos. Esse fato foi confirmado por um antigo colega dos suspeitos, pois muitas vezes, ele ouviu o Suprunyuck entrar em contato com um desconhecido "operador de um site rico estrangeiro" que ordenou quarenta vídeos de mortes e pagaria uma grande quantidade de dinheiro caso fossem feitas. Mas algumas autoridades do caso acreditam que eles estavam fazendo isso como um hobby, para ter uma coleção de memórias quando ficassem velhos e que para esses jovens, o assassinato era como entretenimento ou caça.

Aqui temos dois vídeos o popular 3 guys, 1 hammer e a mutilação de uma garota. Peço que se não tiver bem psicologicamente e não agüentar imagens realmente chocantes e agressivas, por favor não veja. Obrigado.


Link ( 3 guys, 1 hammer ) : https://www.youtube.com/watch?v=LN4NrkkF3IQ

Link ( Mutilação de uma garota ) : http://www.liveleak.com/view?i=3e6_1305649406


FONTE : http://showdomedo.blogspot.com.br/2013/10/os-maniacos-de-dnepropetrovsk-3-guys-1.html




12 de março de 2015

O Autor ( Desabafo )



O que vou lhes contar aconteceu comigo, para falar verdade vem acontecendo há um tempo e acho que não vai parar e resolvi relatar por achar um tanto quanto sinistro.

Sou o cara por trás do blog Horror Urbano, eu faço tudo no blog por não ter uma equipe para me dar suporte. Sou encarregado desde as pesquisas, escritas, edições, designer e criação. Sempre curti historias de terror, filmes, livros, alem de coisas sobrenaturais, e isso me inspirou para a criação do mesmo. Porem as coisas começaram a ficar um tanto quanto ruins. Há uns seis anos atrás que me recorde comecei a ter pesadelos bem reais, não com freqüência porem às vezes meu corpo era preso na cama e não conseguia me mover de forma alguma, em alguns casos algo dificultava minha respiração e às vezes a deixava ofegante. Em um de meus primeiros relatos contem que uma figura pairou próxima a minha cama e ria de minha pessoa enquanto eu tentava me mover e soava frio, aquilo me provocava de forma aterradora rindo e emitindo grunhidos um tanto quanto aterrorizantes e que após dois dias esse ser, ou seja, lá o que for estava deitado ao meu lado na cama respirando em meu pescoço, esse evento durou uma semana. Atualmente isso não me assusta mais e confesso ter medo de poucas coisas, apesar de escrever sobre o sobrenatural sou bem cético em relação a muitas coisas e prefiro acreditar na ciência ao espiritual, além de não temer mal algum mesmo sabendo que este possa sim existir. Andei acessando deep web com freqüência e vendo conteúdos um tanto quanto chocantes em busca de inspirações e matérias interessantes, lendo relatos assustadores e fazendo pesquisas um tanto quanto macabras muitas coisas talvez tenham deixado a situação mais complicada. Vou relatar a vocês alguns casos que me assombraram e ate hoje perturbam. Certo dia ao deitar, assim que adormeci me vi dentro de um carro em uma rodovia, estava no banco traseiro e uma menina conduzia o veiculo, a todo o momento eu sabia que aquilo não era real, eu queria voltar para meu quarto e forçava a minha mente tentando concentrar nas paredes e nos objetos do meu quarto, mas aquilo era em vão e fazia minha cabeça doer, me inclinei para frente encostando a cabeça no encosto do carona e meu corpo travou como se eu estivesse preso por uma força surreal. Neste momento a tal garota que dirigia o veiculo que era uma pessoa bem familiar inclinou-se colocando a boca em meu ouvido e sussurrando algo que não pude identificar, neste instante eu me despertei e assim que isso aconteceu o sopro do sussurro chegou ate meus ouvidos me fazendo arrepiar como se de fato alguém estivesse do meu lado e tivesse sussurrado algo, neste instante eu me levantei, fui tomar água e voltei a dormir. Em outro dia acordei as 02h00min e um musica alta tocava em algum lugar, porem na cidade onde moro ninguém iria estar com um som tão alto aquela hora ainda mais escutando musica clássica, eu me levantei e fui beber água e afim de descobrir de onde a tal musica vinha o problema e que não conseguia identificar de que lado essa vinha, ate que notei que a mesma vinha de minha mente foi bizarro . Geralmente antes de adormecer ao começar a ficar sonolento vejo coisas como animais se arrastando pelas paredes, objetos tremerem e uns que não consigo identificar em meu quarto, e raramente escuto algumas vozes como cochichos e ate mesmo conversas das quais não consigo identificar. Hoje aprendi a conviver com tais coisas e confesso não ter medo ou um pingo de preocupação por saber me lidar com isso, e vocês vivem ou viveram algo parecido? Compartilhe seu relato aqui no blog, obrigado! Logo irei fazer uma matéria sobre distúrbios do sono, fiquem ligados, obrigado novamente. Se por acaso o blog ficar sem publicações saibam o motivo, provavelmente vou estar dando uma esfriada na mente. Gostaria de informar que se alguém quiser dividir este fardo comigo, basta entrar em contato através de redes sociais ou e-mail : horrorurbano@outlook.com. 

Se copiar colocar devidos créditos, obrigado!

Ass : Glaucow M Freitas

9 de março de 2015

Baba Vanga ( Misteriosas e Assustadoras Previsões )


  
Vangelia Pandeva Dimitrova nasceu em 31 de janeiro de 1911 emStrumica, no Império Otomano (atual República da Macedônia). Seu nome deriva da palavra grega "Evangelos", que significa "portador de boas novas". Seu parto foi extremamente prematuro, o que acarretou diversos problemas de saúde.

Apesar de ser uma criança comum, de olhos azuis e cabelos loiros, Vangelia viveu vários anos somente com doações de seus vizinhos, pois seu pai servia ao exército búlgaro e a mãe havia morrido nos seus primeiros anos de vida. Seu pai foi atencioso o suficiente para somente se casar de novo com a mulher certa para ser madrasta dela e dos irmãos.

A menina era extremamente inteligente, frequentemente inventando jogos intrincados. Era muito ligada à homeopatia, sempre receitando ervas para curar diversas enfermidades para os amigos, mesmo que fosse somente por brincadeira. Aos 12 anos de idade, ela foi carregada por um tornado (embora não haja registros meteorológicos da época nem ela mesmo tenha confirmado a veracidade do fato) e encontrada horas depois com os olhos cheios de areia e destroços. Seu pai não tinha dinheiro suficiente para uma operação, o que a deixou cega para sempre.

Em 1925 ela foi levada para uma escola para cegos em Zemun, uma municipalidade de Belgrado, na Sérvia, onde aprendeu a ler Braile, tocar piano, costurar, cozinhar e limpar. A morte da madrasta fez com que ela retornasse aStrumica para cuidar dos irmãos. Por ser de uma família muito pobre, Vangelia tinha de trabalhar praticamente o dia todo para conseguir o mínimo de sustento. Após contrair pleurite em 1939, um médico previu sua morte em poucos anos, mas Vangelia curou-se rápida e milagrosamente. Este fato começou a atrair seguidores e também a despertar boatos de que ela seria uma bruxa - o que era comum se suspeitar de uma pessoa que consegue se curar sozinha até poucos anos atrás naquela região.

Mas foi só a partir de 1941, quando o tsar Boris III a visitou, que sua fama começou a correr pela região. Vangelia mudou-se para a região das montanhas Rupite, na Bulgária, e casou-se com seu único marido, Dimitar Gushterov, em 1942. Ele a havia procurado para tentar identificar os assassinos de seu irmão, mas jurou a ela que não buscava vingança.

Sua vida é um tanto obscura nos anos seguintes, mas muitos foram os registros feitos por pessoas próximas. Sabe-se que seu marido contraiu uma doença não identificada em 1947 e morreu em 1962 devido ao alcoolismo e que, apesar de ser semi-analfabeta, Vangelia falava muito bem. Suas profecias eram proferidas em enigmas linguísticos como os de Nostradamus, alguns dos quais até hoje têm suas traduções disputadas. Entre seus seguidores, era conhecida como Baba Vanga ("baba" sendo a palavra búlgara para "avó").

Perto do fim de sua vida, ela revelou que tinha várias visões aterrorizantes de acontecimentos futuros, mas que não os expunha para evitar gerar pânico e porque não gostava de falar sobre o que "nós vamos fazer com este lugar". Vangelia morreu em consequência de um câncer de mama em 11 de agosto de 1996, aos 85 anos. De acordo com familiares, ela previu o dia de sua morte e o de seu enterro (13 de agosto). Baba Vanga afirmou que uma menina cega nascida na França herdaria seus poderes e logo seria conhecida.


OBTENÇÃO DE PREVISÕES E PODER DE CURA

Vangelia nunca escreveu ou ditou nenhum dos livros que hoje carregam seu nome. Tudo que ela alegadamente disse foi obtido de depoimentos de pessoas próximas a ela e, no fim de sua vida, de uma equipe que a acompanhava.

Ela dizia que suas previsões eram obtidas de criaturas invisíveis, as quais nunca conseguiu - ou nunca quis - descrever fisicamente. Tais criaturas passavam informações aleatórias sobre pessoas em diversas partes do mundo, as quais ela não podia repassar por motivos de distância e barreiras linguísticas, por não estarem presas ao tempo e espaço. Ela dizia ouvir vozes "passadas, presentes e futuras", algumas vindas de centenas de anos no passado. Vangelia também afirmava que podia ver a vida de qualquer pessoa que ficasse em sua frente como se fosse um filme, desde o nascimento até a morte futura, mas que nada podia fazer para modificar o que foi "escrito no momento da geração".

Baba Vanga era conhecida como uma exímia curandeira. Ela afirmava que a cura de doenças só é possível através da homeopatia e somente com ervas nativas do país do doente. Vanga não era uma ativista anti-remédios farmacêuticos, mas não os recomendava por acreditar que "a ingestão de muitos remédios 'falsos' fecha as portas pelas quais a natureza restaura o balanço natural do corpo com as ervas."


CONTROVÉRSIAS E ADORAÇÃO NA RÚSSIA

Durante sua vida e após sua morte, Baba Vanga foi envolvida em diversas polêmicas que tratavam desde sua origem ao real poder de previsão e cura, e seu envolvimento com o Partido Comunista da Bulgária. Vários estudos foram feitos para tentar descobrir se suas profecias eram reais ou farsas orquestradas, mas em média, os estudos mostravam que 80% de suas previsões passadas se concretizaram.

Nas décadas de 1960 e 1970, Vanga começou uma longa amizade com o governo búlgaro. Quer soubesse ou não, os líderes do Partido Comunista utilizavam suas previsões para obter vantagens econômicas e estratégicas. Nos anos 1980, o governo passou a cobrar valores simbólicos por suas consultas e a pagar um salário fixo para Vangelia - valor que era menor que 1% do arrecadado. Sua casa era totalmente grampeada e agentes secretos trabalhavam entre os membros de sua equipe. Acredita-se que Baba Vanga tenha sido instruída a dar informações incorretas para influenciar os diversos políticos de todo o mundo que a visitavam.

Os russos a adoravam há algum tempo. Baba Vanga previu a morte de Stalin (1953), o desastre de Chernobyl (1986), a queda da União Soviética (1991), o segundo mandato de Boris Yeltsin (1995) e o desastre com o submarino russoKursk (2000) - este último cerca de 6 anos antes. A maior parte dos russos a têm como uma mensageira direta deDeus. Por outro lado, os católicos do país a têm como uma enviada de Satanás e falsa profeta. Entre eles corre o boato de que Baba Vanga ficou extremamente furiosa com um padre que a visitou portando uma cruz e teria dito que o objeto "interferia no seu poder de previsão".


A ÚLTIMA ENTREVISTA

Em 1994, Anatoly Lubchenko, um vendedor itinerante ucraniano recém eleito chefe do Rada (parlamento da Ucrânia), se sentiu atraído para a casa de Baba Vanga enquanto tirava férias na Bulgária. Já velha e muito debilitada, ela concedeu, sem que ele perguntasse, uma entrevista simples. Anatoly a gravou em uma fita usada, que dizem ter sido perdida depois da divulgação - instruída pela própria Baba Vanga para "só depois do novo milênio" (após o ano 2001). A conversa durou cerca de 45 minutos e não há muitas fontes com sua transcrição completa.

Segue tradução das partes encontradas 
aqui e aqui.


"Ninguém sabia sobre esta entrevista por um longo tempo. Vanga fez estas profecias pouco antes de sua morte. Ela pediu para não torná-las públicas antes do novo século. Uma vez Anatoly Lubchenko trouxe uma fita de áudio comum para o correspondente do Mirror of the Week. 
Anatoly diz: 'Eu a visitei no verão de 1994, quando fui eleito para o Rada pela primeira vez. Eu estava de férias na Bulgária e de alguma forma tive a idéia de dar uma olhada em sua casa. Ouvi dizer que ela estava doente e não tinha nenhuma esperança de vê-la, mas quando cheguei a Petrich, um homem saiu da multidão e me convidou para entrar. Eles olharam para mim como se eu fosse leproso, e eu realmente senti medo - o que poderia esperar por mim? 
Ela estava deitada em uma cama grande e parecia tão magro quanto um palito. Estava queito lá; as moscas estavam voando sob o teto pintado a cal. Vi que seus dias estavam contados, mas no entanto, havia uma longa fila de pessoas esperando pela sua vez, todas ansiosas para perguntar sobre os seus problemas. E lá fui eu, que veio acidentalmente e não sabia o que perguntar. 
Naquele momento ela se virou para mim: 'Onde está o seu pai?'. 'Na Alemanha', eu respondi. Ela ficou em silêncio por um longo tempo e eu percebi que ela sabia sobre o câncer. 'Em breve, - ela disse, - esta doença será derrotada, acorrentada com grilhões de ferro. Mas seu pai não sobreviverá a ela'. Em seguida, ela se manteve em silêncio de novo e acrescentou: 'Mas você estará bem em Kiev, é uma cidade boa, eu vejo...'. 
Naquele momento eu pensei sobre o meu gravador com uma fita de aulas Inglês. 'Posso gravar a nossa conversa?', perguntei. O homem sentado em um banco olhou para mim como se eu fosse seu pior inimigo, mas ela riu como uma jovem senhora e disse: 'Sim, mas não mostre a ninguém antes do novo século'. 
A entrevista é bastante curta - menos da metade da fita de 90 minutos. O próprio Anatoly ajudou a traduzir parte das respostas em búlgaro. Algumas questões autobiográficas poderiam ser omitidas, mas ele é um amador, por isso, apenas ofereceremos a versão importante aqui: 
AL:  ... Como você se tornou uma vidente? 
BV: Muitas vezes eu vi pessoas que morreram há muito tempo atrás, e elas me disseram o que iria acontecer com outras pessoas. Depois disso, veio um estranho bem alto. Ele me disse que a guerra (II GM) iria começar amanhã e que eu devia dizer às pessoas que elas morreriam ou sobreviveriam, e como elas poderiam escapar da morte. 
AL: Ele estava vivo? 
BV: Não, morto, assim como os outros. 
AL: Como ele se parece? 
BV: Uma grande sombra, como um reflexo. Todos são assim, e, às vezes, há apenas uma voz. 
AL: Como você fala com eles? 
BV: Eu sinto quando eles aparecem. Primeiro eu falo em voz alta, então continuo na minha mente e depois entro em transe e posso ouvir tudo. A voz parece que vem de um lugar distante, como no rádio; às vezes parece clara, às vezes não... 
AL: O que você sente quando pessoas comuns vêm até você? 
BV: Eu posso vê-los de longe, cada um deles, e sei de toda a sua vida, como se eu assistisse a um filme. Eles são bons, maus, diferentes... Todo mundo quer um milagre e chora depois. Mas quando as coisas são muito ruins, eu mantenho o silêncio, não digo nada. Eu só posso aconselhar. 
AL: O quê? 
BV: Que as pessoas não devem ser más, não devem se vingar ou ofender ninguém, devem fazer coisas boas. Elas devem ouvir seus corações. Devem ouvir sempre o coração, porque a cabeça faz mais erros. O coração está ligado ao cosmos. Mas nem todo mundo consegue distinguir entre a voz do coração e a voz da cabeça. 
AL: Essas pessoas mortas falam apenas sobre o futuro ou sobre o passado também? 
BV: Sobre tudo. 
AL: E se as coisas são para pessoas ou eventos em outros países? 
BV: Distâncias e línguas não importam, tudo passa através do cosmos. 
AL: Você pode dizer o que vai acontecer com a gente? 
BV: A Rússia vai ficar bem, mas a Bulgária e a Macedônia - não mesmo. As mulheres na Rússia vão dar à luz a muitas crianças boas, que vão mudar o mundo. Em seguida, vem um milagre, tempos milagrosos. A ciência vai definir o que é verdade nos livros antigos, e o que não é. Vai encontrar vida no cosmos e descobrir como ela (a vida) veio para a Terra. Uma enorme cidade vai ser desenterrada. Novas pessoas virão do céu, e muitos milagres vão acontecer. Mas você tem que esperar; você não deve apressar as coisas, isso vai acontecer em um futuro distante... 
AL: E o que vai acontecer em breve? 
BV: O fim da luz {a palavra 'svet' significa tanto 'mundo' quanto 'luz' em russo} vai acontecer em nove anos (2003), a Terra vai se afastar do Sol, de modo que o gelo aparecerá em locais previamente quentes, muitos animais vão morrer. As pessoas vão lutar por energia, mas seu espírito será forte o suficiente para parar de lutar. E então o tempo vai voltar {voltar ao passado / ir na direção oposta?}. 
AL: Eles dizem que o fim do mundo/luz é o Dilúvio... 
BV: O Dilúvio vai acontecer também, em cerca de trinta a quarenta anos (2024-2034). Um grande corpo vai voar para a Terra e atingir a água. As ondas vão lavar muitos países, e o Sol vai desaparecer por três anos. (Baba Vanga poderia estar falando do cometa Apophis, que passará extremamente perto da Terra em 2029 e 2036) 
AL: Mas será que as pessoas sobrevivem? 
BV: As pessoas boas vão sobreviver, enquanto que os maus, os que se consideram inteligentes, perecerão. Muitas pessoas vão morrer. E, em seguida, muito vida boa vai vir, a imortalidade virá. 
AL: A idade de ouro vai vir na Terra? 
BV: Ela já está chegando, mas nem todos podem vê-la. Em sete anos (2001), as pessoas vão parar de semear e colher, elas só vão plantar coisas. Animais se reproduzem como as plantas, enquanto as plantas se reproduzem como animais. Em 21 anos (2015) ninguém mais vai viajar no chão. Trens voarão sobre os fios do Sol (energia solar?), o petróleo vai ser proibido, o chão vai estar apenas gerando vida e providenciando descanso. Em quarenta anos (2034), doenças modernas vão desaparecer, mas outras aparecerão. Elas serão conectadas com o cérebro, porque todo mundo vai beber água do mar, e não haverá ilhas no mar. Em seguida, a água irá ser encontrada no cosmos, e esta água será boa. Haverá uma enorme população. A Índia será maior do que a China. Mas as pessoas vão começar a se livrar de seus corpos. 
AL: O que significa isso - livrar-se de seus corpos? 
BV: Pode-se viver sem um corpo, apenas uma personalidade, apenas energia, como os mortos. Mas este é um futuro distante. 
AL: Você pode prever algo sobre política para os próximos cinco anos (1995-2000) ? 
BV: A Rússia vai diminuir (o ego) e tomar o seu lugar novamente, haverá bondade no interior e experiência no exterior. A Europa não vai ficar mais jovem (a população atual da Europa contém 65% de pessoas com mais de 60 anos). A América vai aceitar o outro com uma barba (muçulmanos) e compreender que o medo é pior do que o amor. A Síria vai cair aos pés do vencedor, mas o vencedor na verdade será outro. Os alienígenas se recusarão a partilhar o seu conhecimento com ele. Os Países das Mulheres (?) vão recuar ante os dos homens, mas manterão suas agendas. Um homem pequeno (?) governará você por toda a vida... 
AL: Existe Deus no mundo / luz? 
BV: Deus não pode estar no mundo / luz, pois Deus é o mundo / luz. Não há Deus no ser humano, mas há um ser humano em Deus.
AL: Céu e inferno existem? 
BV: Céu e inferno são lados diferentes da vida fora do corpo. Se a pessoa morta é necessária para os que vivem - este é o céu. 
AL: Você vai ajudar os vivos após a sua morte? 

Baba Vanga não respondeu. Logo veio um clique na fita como se alguém tivesse desligado o gravador, embora Anatoly jure que ele não fez isso. Ele diz que Vanga se cansou e adormeceu..."

Imagens Freak 39