. '>

Novidades

1 2 3 4

18 de setembro de 2014

Hagar 25 ( A Criança Morta )




Quando eu era pequeno e tinha mais ou menos 10 anos, próximo minha casa existia um sitio chamado Hagar 25. Neste local costumavam brincar eu, irmãos e primos, no decorrer de uma brincadeira em um dia qualquer começou a chover e o lugar era muito ermo e sombrio, vários eucaliptos e casas de galinheiros desertas, entre currais e chiqueiros abandonados. Estava correndo quando próximo a um lago vi uma criança morta e esquartejada, a água se unia ao sangue, não existia nenhuma possibilidade de vida, começou a ventar e a chover muito mais forte,quando decidimos ir embora escutamos um choro, impossível, mas curiosos voltamos e fomos conferir de perto de onde vinha tal choro, foi quando de repente a criança que até então parecia morta se levanta, faltando um dos braços caminhou e sumiu em meio a nevoa densa, aquilo nos deixou completamente assustados e perturbados, começamos a correr em direção a nossa casa enquanto o medo surgia a cada passo o choro parecia mais alto, quando atravessamos o portal do sitio que tinha uma imensa porteira escutamos o fim do choro para nosso alivio, chamamos os adultos para verificar o local e lá estava a criança morta, mas com todos os membros e nenhum sangue em volta, ao seu lado um crucifixo e uma especie de amuleto. Ficamos proibidos de ir até o local e de fato nenhum de nos retornamos lá, até hoje não sabemos o que aconteceu naquele local.


Se copiar colocar devidos créditos, obrigado !
Ass : Glaucow M Freitas

16 de setembro de 2014

O Mistério de Hartford



 Era noite de Sexta Feira quando Dona Olária chegava a sua casa do mercado, a senhora morava em Hartford capital de Connecticut um lugar aparentemente tranqüilo e bem seguro pelas autoridades, assim que aproximou de sua garagem notou uma figura nada amistosa parada a lateral de sua casa, a mesma parecia assustada, assim que saiu do carro fechou a garagem, caminhava até a porta quando a figura se aproximou a interrompendo, a perguntou onde ficava o posto de combustível mais próximo, Olária o informou e este rapaz de porte magro e alto saiu sem se quer agradecer. Ao entrar em casa à senhora foi ate o chuveiro e tomou um banho, porem assim que o desligou escutou um barulho vindo da parte dos fundos de sua casa, se enrolou na toalha e foi ate a janela dos fundos onde pode ver o mesmo rapaz parado no fundo de sua casa, parecia perturbado, balançava a cabeça como se não concordasse com alguma coisa, assustada pegou o telefone e ligou para policia, em meio à ligação a senhora explicava o que estava acontecendo do outro lado da linha o xerife Derick escutava e tentava manter a senhora calma até que a viatura fosse disponibilizada, Olária descrevia todos os movimentos do misterioso homem quando escutou um barulho mais próximo que a deixou arrepiada, alguém tinha entrado em sua casa, desesperada tentou apressar os policiais que arrumaram uma viatura para deslocar até o local, porém era tarde demais o xerife tentava manter a comunicação até a viatura chegar, porem a única coisa que escutava eram os gritos de agonia e dor de Olária que nada podia fazer para se defender, os gritos e os barulhos eram de dar arrepio, durou dois minutos e cessou. O maníaco atacou a senhora com um facão e não deu se quer chances para a senhora que morreu rapidamente, a linha ficou muda, a viatura chegou ao local entrou a casa porem nada encontrou se quer sangue da vitima em cômodo algum foi visto, a única coisa que foi encontrada foi um facão só que este estava limpo no fundo do quintal. Até hoje os policiais de Hartford não sabe explicar o que aconteceu naquela noite, Sra.Olária nunca mais foi vista e esta desaparecida a mais de cinco anos. A policia suspeitou de trote, mas um ano após o ocorrido um misterioso rapaz foi visto dentro da casa da senhora, alguns vizinhos disseram que também o viram e que estava acompanhado de Olária, afinal o que aconteceu?   

Se copiar colocar devidos créditos , obrigado !
Ass : Glaucow Freitas

13 de setembro de 2014

10 Casso de desaparecimentos sem solução


Se tiver algo pior que a morte é a dúvida de um desaparecimento, a angustia de não saber o que aconteceu com a pessoa seja lá quem for à pessoa nos deixam perplexos e com muito medo. Os mistérios que rondam estes casos são realmente das mais diversas teorias, porem nada foi dado como certo ou se quer encontrado. Dados afirmam que mais de 200 mil pessoas desaparecem no Brasil por ano, no mundo esse número deve quadruplicar facilmente. Aqui vamos acompanhar 10 entre outras centenas de casos que chocaram o mundo e até hoje não obteve solução .

10. As três de Fort Worth 


Em 23 de dezembro de 1974, 3 garotas, Mary Rachel Trlica, 17 anos, Lisa Renee Wilson, 14 anos e Julie Ann Moseley, 9 anos, ficaram conhecidas como “The Fort Worth Three”, ou “As Três de Fort Worth”. Elas saíram para fazer compras de Natal em um shopping center em Fort Worth, Texas (EUA), e nunca voltaram para casa. O carro que elas usavam foi descoberto no estacionamento do shopping às 18h00 naquela noite. Havia presentes de Natal dentro, indicando que as meninas tinham feito suas compras e voltado para o veículo em algum momento. No dia seguinte, a família de Rachel recebeu uma carta que supostamente foi escrita por ela, alegando que as três haviam ido para Houston por uma semana, mas voltariam. No entanto, nenhuma das meninas voltou e há dúvidas sobre se Rachel realmente escreveu a carta. Ao longo dos anos, testemunhas se apresentaram com vários relatos do que aconteceu naquele dia. Uma afirmou ter visto as meninas sendo forçadas para dentro de um veículo por homens não identificados, e outra supostamente as viu sentadas no carro de um segurança do shopping às 23h30 naquela noite, mas nenhuma das histórias foi confirmada e o desaparecimento continua um mistério.

9. Irmãs Lyon


Em 25 de março de 1975, as irmãs Lyon, Sheila, 12 anos e, Katherine, 10 anos, foram a um shopping em Wheaton, Maryland (EUA). Quando as meninas não voltaram para casa naquela noite, seus pais ligaram para a polícia. Mais de uma semana e meia depois, a família Lyon recebeu um telefonema de um indivíduo exigindo US$ 10.000 (cerca de R$ 20 mil) pelo retorno de suas filhas. O resgate foi deixado em um tribunal, mas ninguém nunca apareceu para pegá-lo. O principal suspeito no desaparecimento das irmãs é um misterioso homem carregando um microfone e um gravador, que foi visto conversando com as meninas no shopping nesse dia. Duas semanas depois, uma testemunha se apresentou para dizer que viu Sheila e Katherine amarradas e amordaçadas na parte traseira de uma caminhonete sendo conduzida por alguém que se parecia com o homem do shopping. No entanto, até hoje a identidade deste homem e o destino final das irmãs Lyon é desconhecido.


8. As três de Springfield 


“Springfield Three” são Sherrill Levitt, 47 anos, sua filha de 19 anos Suzanne Streeter, e a amiga dela, Stacy McCall, 18 anos. Todas desapareceram misteriosamente no meio da noite da casa de Sherrill em Springfield, Missouri (EUA), em 7 de junho de 1992. Seus veículos e pertences pessoais ainda estavam lá, a televisão foi deixada ligada, e o único sinal de qualquer problema foi uma luz quebrada na varanda. Algumas pistas foram seguidas. Uma testemunha afirma que uma mulher aterrorizada cuja aparência correspondia à descrição de Sherrill estava dirigindo uma van mais tarde naquele dia, e ouviu um homem lhe dizer: “Não faça nada estúpido”. Um ladrão condenado chamado Robert Craig Cox deu indícios de que foi responsável pelo rapto e que os corpos das vítimas nunca seriam encontrados (havia rumores de que estavam enterrados debaixo de uma garagem), bem como um assassino condenado chamado Gerald Carnahan também tem foi investigado como possível suspeito no caso. No entanto, nenhuma evidência conclusiva foi ligada a um desses homens, e nenhum vestígio das Três de Springfield jamais foi encontrado.

7. As três do Indiana Dunes National Lakeshore 


Três jovens amigas, Ann Miller, 21, Patricia Blough, 19, e Renee Bruhl, 19, foram a uma excursão ao Parque Estadual “Indiana Dunes National Lakeshore”, em Indiana (EUA), em 2 de julho de 1966. Elas desapareceram misteriosamente, deixando seus pertences para trás em uma praia. Um casal afirmou ter visto as três mulheres entrando no lago e falando com um homem não identificado em um barco branco antes de subir a bordo. Investigadores verificaram o histórico das mulheres e descobriram que Ann estava grávida de três meses no momento em que desapareceu. Também é possível que Blough estivesse grávida, e uma teoria é que o homem no barco era Ralph Largo Jr., cuja família era conhecida por realizar abortos ilegais. As três mulheres também mantinham cavalos em estábulos dirigidos pelo irmão de uma figura notória do crime organizado, Silas Jayne. É possível que isso tenha desempenhado um papel em seu desaparecimento, mas nenhuma dessas pistas levou a um desfecho – o caso permanece sem solução.

6. Família Jamison


Bobby Jamison, sua esposa Sherilynn, e sua filha de 6 anos de idade Madyson desapareceram de uma estrada de terra em uma área rural de Oklahoma (EUA) em 8 de outubro de 2009. Os Jamisons supostamente havia ido lá para olhar um pedaço de terra. Sua caminhonete foi encontrada abandonada com seus pertences ainda dentro, juntamente com o seu cão, que estava quase morto de fome. Mesmo com o frio, toda a família deixou seus casacos para trás. Para tornar as coisas ainda mais misteriosas, um envelope contendo 32 mil dólares (cerca de 64 mil reais) foi encontrado no carro. Eles supostamente enfrentavam problemas financeiros e apresentavam comportamento estranho durante as semanas antes seu desaparecimento, já que Bobby e Sherilynn afirmavam que haviam fantasmas em sua casa. Não havia sinais de qualquer crime na cena do desaparecimento, e a especulação era de que a família Jamison poderia ter desaparecido por vontade própria ou cometido assassinato seguido de suicídio em algum lugar. No entanto, não há forte evidência para apoiar qualquer teoria.


5. Família McStay


Joseph e Summer McStay, bem como seus dois filhos, Gianni de 4 anos e Joseph Jr de 3, estrelaram uma das histórias de desaparecimento mais estranhas da memória recente, em 4 de fevereiro de 2010. Uma câmera de segurança pegou o veículo da família saindo de sua casa em Fallbrook, Califórnia (EUA). Mais tarde, no dia 8, o carro foi encontrado abandonado em um shopping center a poucos quarteirões de distância da fronteira mexicana. Autoridades eventualmente verificaram imagens de vigilância e viram uma família que pode ter sido os McStays atravessando a fronteira, mas a qualidade da imagem era muito pobre. Três anos mais tarde, as autoridades inclinaram-se para a possibilidade de que os McStays encenaram o seu próprio desaparecimento. No entanto, eles tinham mais de 100.000 dólares em sua conta bancária (cerca de R$ 200 mil) que nunca foi tocada. Se eram eles nas imagens de vigilância, para onde foram? Se atravessaram a fronteira para o México, o que aconteceu com eles depois? Várias teorias foram apresentadas sobre este caso, mas nada parece fazer qualquer sentido.

4. O mistério do “Sarah Joe” 


Em 19 de fevereiro de 1979, cinco homens da ilha havaiana de Maui – Benjamin Kalama, Ralph Malaiakini, Scott Moorman, Patrick Woesner e Peter Hanchett – saíram em uma viagem de pesca em um navio chamado “Sarah Joe”. O barco e sua tripulação desapareceram depois de uma terrível tempestade que atingiu a região. Parecia óbvio que os cinco homens provavelmente se perderam no mar e se afogaram, mas as coisas ficaram realmente estranhas em 1988, quando pedaços do “Sarah Joe” foram encontrados em uma ilha a 3.220 quilômetros de distância. Uma cova rasa sem identificação também foi encontrada por lá, onde os restos de Scott Moorman estavam enterrados sob uma pilha de pedras. No entanto, nenhum traço dos outros quatro homens foi encontrado – o que aconteceu com eles? Para tornar as coisas ainda mais estranhas, tal ilha aparentemente já tinha sido vasculhada alguns anos antes e ninguém havia encontrado restos do Sarah Joe ou a sepultura naquele momento. O destino dos outros quatro homens desaparecidos e o mistério de como Scott Moorman foi sepultado permanecem sem solução.

3. Lauria e Ashley


Na área rural de Oklahoma (EUA) na noite de 30 de dezembro de 1999, Lauria Bible, 16, decidiu passar a noite com sua melhor amiga, Ashley Freeman. Durante a noite, o trailer da família Freeman foi incendiado. A mãe de Ashley, Kathy, foi encontrada morta a tiros, mas as duas meninas e o pai de Ashley, Danny, estavam desaparecidos. Quando a família de Lauria voltou à cena do crime para investigá-lo, no dia seguinte, encontrou os restos mortais de Danny. Ele também tinha sido morto a tiros, mas de alguma forma as autoridades não tinham encontrado seu corpo antes. Há numerosos rumores sobre quem cometeu os assassinatos. Inicialmente, suspeitava-se que as duas meninas poderiam ter os cometido e fugido. Também que Danny Freeman havia sido alvejado por causa de uma dívida de drogas. Os serial killers condenados Tommy Lee Sells e Jeremy Jones ambos alegaram ter sequestrado e assassinado as garotas. Jones ainda disse às autoridades que tinha eliminado seus corpos em uma mina, mas uma busca não descobriu nada. Apesar de todas estas teorias, o destino final de Lauria e Ashley ainda permanece um mistério.

2. Scott e Amy Fandel


Em 4 de setembro de 1978, Margaret Fandel saiu para jantar em Sterling, Alaska (EUA), com seus dois filhos, Scott, 13, e Amy, 8. Depois, ela os deixou em sua casa, uma cabana rural na mata, e saiu novamente. Margaret não retornou até 2h00 ou 3h00 da madrugada, quando descobriu comida no balcão e uma panela de água fervendo no fogão. Supondo que seus filhos estavam passando a noite nos vizinhos, ela foi para a cama e só notou que Scott e Amy estavam desaparecidos no dia seguinte. Primeiro, o pai de Amy, Roger Fandel, foi investigado pelo desaparecimento. Sua namorada supostamente pediu US$ 5.000 (cerca de R$ 10 mil) para revelar o que tinha acontecido. Conforme o tempo passava, no entanto, as autoridades passaram a acreditar que ele não estava envolvido, e ninguém tinha ideia de quem poderia estar. As crianças podem ter sido sequestradas por um predador desconhecido no meio da noite, mas não há provas concretas para apoiar qualquer teoria. Quase 35 anos depois, nenhum traço de Scott ou Amy Fandel jamais foi encontrado.

1. Família Sodder 
  


É horrível o suficiente que um filho seu desapareça, imagine cinco. Foi isso que aconteceu com George e Jenny Sodder, na véspera de Natal em 1945. A família tinha dez filhos, mas após sua casa em Fayetteville, West Virginia (EUA), queimar até o chão, cinco deles (Betty, Jennie, Louis, Martha e Maurice) nunca mais foram vistos. A explicação óbvia devia ser que eles morreram no incêndio, mas nenhum resto mortal das crianças foi encontrado, e é extremamente improvável que o fogo poderia ter os incinerado completamente. Enquanto a família encontrou alguns restos mortais em meio aos destroços, eles não apresentavam sinais claros de danos feitos por fogo e podem ter sido roubados de um cemitério e plantados lá. Teoriza-se que o fogo foi iniciado como uma distração para raptar as crianças, já que a linha telefônica da casa havia sido cortada e a escada da família foi encontrada em um barranco a metros de distância. Houve numerosos avistamentos de testemunhas oculares das crianças ao longo dos anos, e em 1968, a família recebeu uma fotografia misteriosa de um homem que pode ter sido Louis Sodder já crescido. Infelizmente, George e Jenny morreram sem nunca descobrir a verdade sobre o que aconteceu.





10 de setembro de 2014

A Mulher Que Chora




Dizem que no ano de 1980 na cidade de Morro Alto uma mulher foi encontrada morta pelo seu marido próximo a um matagal pelas autoridades. O que as pessoas dizem e que o marido muito ciumento sempre suspeitou da esposa, então em um dia de Domingo em um acesso de fúria a espancou e em seguida a estrangulou violentamente. Dizem que o choro dessa mulher no momento do espancamento foi tão alto e agonizante que os moradores mais próximos sentiram um calafrio por todo corpo e uma agonia incontrolável, porem ninguém se prontificou a ajudar pelo fato de ser algo rotineiro e a própria mulher nunca ter denunciado ( e o típico caso de “não vou me envolver em casos de família” )Na manha seguinte o corpo da mulher foi encontrado e assim sepultado, o marido louco sumiu e nunca foi visto.  Os dias se passaram até que um dos moradores locais ao ir visitar o cemitério notou que o tumulo de Maria havia sido violado, a policia foi avisada e foi à procura do corpo, ainda procurando o louco marido da mesma que estava foragido. Em uma manha a policia fazendo uma ronda na mata encontrou uma cabana, ao adentrar depararam com uma cena forte e bizarra o corpo de Maria decomposto e o de Paulo em uma cama, estranho era que o corpo do rapaz estava fresco, como se algo o tivesse matado recentemente. Ate hoje a policia não consegue explicar este mistério. Ambos os corpos foram enterrados, as pessoas que passam próximas ao cemitério no aniversario da morte de Maria escutam seu choro vindo de dentro, muitos céticos tentam explicar o fato dizendo que não passa de barulhos de animais ou ate mesmo outras coisas. Os mais crentes ate dizem que na madrugada de sua morte escutam na casa, hoje abandonada os gritos e choro da mulher e que neste momento todos que a escutam começam chorar de forma misteriosa, as lagrimas caem como se alguma coisa a provocassem. Um morador local de nome Lauro voltava de casa pela madrugada justamente no dia da morte de Maria, sua casa ficava não muito longe do local da tragédia, assim que chegou próximo ao portão de sua casa escutou um murmuro ao olhar viu uma figura pálida de branco próxima à casa do falecido casal, petrificado ficou até que esta imagem desaparecesse como em um passe de mágica. Acreditando ou não esta historia realmente aconteceu e até hoje mexe com a cabeça dos moradores locais.

Se copiar colocar devidos créditos, obrigado !

Ass : GHostface GM ( Glaucow Tri Freitas )

8 de setembro de 2014

Entidades




Entidades



Estudantes de paranormalidade há alguns anos já viram muitos casos desse jeito.
A entidade se passa por um amigo ou familiar recém morto pra receber a autorização da pessoa pra se manifestar na casa dela, para realizar uma suposta comunicação.. E quando essa entidade recebe autorização para entrar, acaba que temos arranhões, cortes perfurações.. 
É comum acontecer quando se está usando o tabuleiro Ouija irresponsavelmente.

Não minha autoria . Obrigado !

5 de setembro de 2014

A Visita






Acordei na madrugada para ir ao banheiro, minha boca estava seca então aproveitei e fui até o lado de fora onde ficava o filtro para tomar água, percebi então que a porta não estava trancada, pensei que seria meu irmão que chegava meia noite da faculdade e a esquecera. Foi assim durante três dias e eu sempre acordando de madrugada para ir ao banheiro, perguntei-o e ele disse que não deixava a porta aberta dia algum e que se quer passava pela porta da cozinha. Um dia acordei mais de uma vez na madrugada, na primeira vez tranquei a porta e todos em casa estavam dormindo, voltei a cama e apaguei, parecia uma eternidade que havia dormido, quando acordei olhei o relógio e se passaram apenas dez minutos, um barulho fez com que eu levantasse assustado, era um barulho no terraço , parecia que alguém andava sobre ele, fui ate a cozinha e caminhei ate a porta, ao tentar virar a chave a porta novamente estava destrancada, fui ate o lado de fora com muito medo, porém pensando que poderia ser algum de meus irmãos, ao olhar para o terraço uma luz forte emanava do local, fiquei perplexo e não conseguia subir as escadas estava travado e com muito medo, a luz sumiu e consegui me mover porem nada se encontrava lá em cima. Voltei e notei que meus irmãos ainda dormiam, deitei na cama e comecei a rezar até que me apaguei. No dia seguinte fiquei pensando o que teria acontecido? O pior a quanto tempo isso estava acontecendo em minha casa ? Eu percebi há quatro dias por ter acordado nestes mesmos, o que ou quem estava por trás de tudo isso?

Se copiar colocar devidos créditos, obrigado!

Ass : GHostface GM

2 de setembro de 2014

Pregações





Não me lembro como tudo começou, nem como vim parar aqui. Minha carne queima por inteiro, ganchos rasgam o meu braço, eu grito. Chamo por socorro, mas ninguém responde tudo esta escuro, Só ouso sussurros que me fazem arrepiar, de repente escuto barulhos de corrente, um homem encapuzado com uma mascara engraçado começa a fala comigo. -Oi. Ele diz como se tivéssemos conversando normalmente. Sua voz e estranha parece grossa e ao mesmo tempo aguda, ao seu lado ele traz uma mesinha com vários instrumentos cirúrgicos, até que ele volta a falar comigo. -Os olhos são os espelhos da alma. Não entendi o que ele quis dizer com isso, calmamente ele puxa um bisturi começa corta o meu olho lentamente, a dor e insuportável parece mil agulhas espetando a minha alma. Eu começo a gritar. - Por que você esta fazendo. Ele volta a falar comigo friamente -Você sabe dos seus pecados. Uma lembrança vem à cabeça, como fui cruel com as pessoas a minha volta, principalmente a minha irmã Christine. Em um dia de agosto eu, Christine e o seu marido Roberto fomos ao cinema, naquele dia estava deprimida por eu ter perdido o meu emprego e ao mesmo tempo ter descoberto as traições que eu passei com meu namorado Edu, enfim, estávamos no meio do filme ate Roberto se levantar. E ir ao banheiro, naquele momento eu pensei se passei por isso, ela também tem que passar só ela tem tudo e eu nada, fui de encontro dele, e no banheiro nos transamos, Depois daquele dia me senti suja, não tocamos mais no acontecido, éramos como estranhos uns com os outros isso fez com que minha irmã desconfiasse, e no fim descobrir a verdade, ela ficou deprimida, não mantivemos mais contato, depois de um ano recebi um telefonema, era a policia dizendo que havia encontrado o corpo dela e de Roberto estirados no chão, o relatório da perícia disse que ela havia dado um tiro em Roberto e depois se matou, minha família nunca me perdoou pelo acontecido, talvez eu mereça o que esta acontecendo comigo. Naquele momento de reflexão o torturador fez o seu primeiro dialogo formal comigo. -O seu silencio deve ser o sinal de que você sabe o motivo real do seu estado. Ele me disse aquilo como se estivesse me julgando ou punindo. Respondi com dor e Medo. -Sim! Sei, por favor, não me mate. Ele voltou a falar comigo de novo. - Você acha realmente justo o que você fez a sua irmã, acha que foi fácil o que ela passou, acha que ninguém estava de olho em você e nas atrocidades que aconteceu, não irei te matar porque não sou um assassino, em vez disso irei te deixar viver com a marca e a vergonha de seus atos. E lembre-se eu não estava te mutilando, torturando ou tentando lhe matar, e sim estava pregando. Ele me soltou e rapidamente injetou uma seringa no meu pescoço, lentamente eu fui adormecendo, mais antes eu escutei ele dizer. -Durma com os anjos. Acordei em uma maca de um hospital, minha família estava envolta da cama, comecei a chora, pedi desculpas a todos, e eles emocionados com o meu discurso finalmente me perdoaram. Alguns dias se passaram, e finalmente recebi alta do hospital, quando estava por sair do quarto, uma das enfermeiras apareceu com um ramalhete de flores endereçadas a minha pessoa, dentro delas havia um cartão que dizia. – “Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti”. MATEUS 5:29.

 Se copiar colocar devidos créditos.
Ass : GHostface GM

Obrigado Erick Dias pela historia . 

28 de agosto de 2014

As Historias da Vó Marta




Minha avó tem hoje 84 anos, vivia em Minas Gerais nos seus tempos de criança, isso em 1939. Sempre que temos uma reunião de família ela nos conta suas histórias desta época, quase sempre de fantasmas e demônios. Em umas dessas histórias ela relembra quando morava na cidade de Paraíso. Moravam ela, uma irmã e seus pais em uma casa grande, em uma fazenda isolada da cidade como toda boa casa assombrada deve ser. Seus irmãos já homens e formados não viviam mais com eles. Certa noite seus pais foram à cidade, sabe-se lá Deus porque, e devido a uma chuva forte ficaram presos na cidade e não retornaram a casa nesta noite e então ficaram as duas sozinhas em casa, ambas em torno de 12 anos de idade. Esta irmã de minha avó sempre apresentou segundo ela, um comportamento estranho e nesta noite fatídica provou que fazia sentido seu comportamento arredio e calado. Chuva forte, relâmpagos seguidos de trovões, sons estranhos vindos de fora. De repente a chuva para silêncio total, nenhum som audível… passam-se alguns segundos e de repente os cães começa a latir e uivar, como se vissem algo que devessem afastar da casa. Novo silêncio. De repente um dos cães começa a chorar, um choro doído, como se estivesse sendo machucado brutalmente e silencia, nessa hora as garotas trancam as portas e se escondem no quarto, ouvem então barulho de passos ao redor da casa, mas não passos humanos, passos de algo pesado e aparentemente com cascos e para bem em frente à janela do quarto. A esta altura as crianças já estavam apavoradas, porém a irmã de minha avó como que em transe se levanta, encosta a testa na janela de madeira, com os braços pendurados ao lado do corpo e lá fica. Minha avó disse ter ouvido a respiração do que estava lá fora, bufando na janela, como que farejando sua irmã e fazendo com que os cabelos se movessem tamanha a força da respiração da criatura que estava lá fora; Religiosa, minha avó começou a orar de nada adiantava, quanto mais orava, mais a criatura se irritava e corria em torno da casa, até que em certo momento se jogou contra a porta da sala, o som invadiu a casa e apavorou de vez minha avó, sozinha na noite escura, apenas sob a luz de um lampião, houve uma nova investida da criatura contra a porta, seguida de um grito de homem como se sentisse muita dor, por várias vezes essa criatura se jogou contra a porta como que querendo entrar em casa. Neste momento minha avó ajoelhou-se, próxima a sua irmã que ainda estava encostada na janela em transe, segurou sua mão e começou a orar novamente, como que por comando do demônio que tentava entrar na casa, a irmã de minha avó foi em direção à porta e iria abri-la se não fosse minha avó impedi-la empurrando- a contra a parede, mesmo assim ela ainda se levantou e seguiu novamente para a porta, como se o demônio que rondava a casa estivesse dando forças a ela; Minha avó conta que durante toda a noite seguiu-se esse inferno, esse demônio rondando a casa, tentando entrar, dando urros horrorosos e sua irmã completamente fora de si. Não dormiu aquela noite. Pela manhã seus pais chegaram e a primeira cena: Um dos cães morto, como que amassado, com as tripas para fora, como que pisoteado por alguma coisa; Dentro da casa a segunda cena: Uma garota completamente fora de si, catatônica e a outra aterrorizada. Ela contou a eles toda a história… Por acaso do destino, uma de suas tias era de um centro de macumba, freqüentadora assídua e recebia espíritos, sua mãe pediu a ela então que livrasse sua casa desse demônio que atormentara as duas na noite anterior. Em uma das sessões do centro, sua tia recebeu uma entidade de nome Vovó Bernabeu, e essa entidade disse que era sim o próprio Demônio que estava em torno da casa, e tentava entrar para matar sua irmã, pois ela havia sido prometida a ele. Segundo minha avó essas foram as palavras do Demônio ao ser questionado do motivo de ter ido a casa: - Num entrei… num entrei, mas vô entrá naquela casa e fazê miséria… vô acaba com aquela minina, vô arrebentar as carne dela, vô faze ela sofrer… Ela é minha!!! Ela é minha!!!… me deu eu vô levá… Eu levo… Eu levo…. Desse dia em diante, eles viveram sob constante vigilância, com medo e não demorou muito vieram para São Paulo, onde ela vive até hoje. Sua irmã teve um destino cruel: morreu jovem aos 24 anos, se matou após ter seu primeiro filho, dizendo numa carta que não suportava mais os “tormentos” e que já estava farta da vida… Eu me pergunto: Aos 24 anos??? Afirma minha avó que antes deste fato, anos antes, um de seus irmãos ficou “rico” da noite para o dia. Sem dúvida esse irmão ao qual ela se refere existiu, vejo através de fotos a fazenda e as cabeças de gado que ele possuía, porém, também se matou poucos anos depois. Ela atribui a ele, a oferta da vida de sua irmã ao demônio em troca da fortuna.

Essa historia foi contada por um amigo e não tenho conhecimentos de sua veracidade

Se copiar colocar devidos créditos. Obrigado !

26 de agosto de 2014

Por trás do seriado Chaves ( Creepypasta )




Vi algo interessante á respeito do Chaves. Sempre li creepypasta sobre o seriado mas nunca levei isso a sério. Achei isso na internet e percebi que faz bastante sentido!
O seriado mexicano “Chaves” fez parte da infância de muitos de nós e ainda encanta as crianças desta geração (e provavelmente das próximas). O humorístico possui seguidores nas mais diversas partes do mundo, sendo o Brasil um dos países com maior público. Um dos motivos do seu grande sucesso é seu texto que, incrivelmente, se mantém bastante atual, fora as atuações dos atores que deram vida aos personagens cativantes da turma.
O que certamente você não sabia, tampouco desconfiava, era que alguns fatos bizarros permeiam o universo aparentemente inocente do programa. Teoria da conspiração ou não, saiba o que há por trás do Chaves.
O texto original, no qual este post se baseia, fora publicado no site Revista Bula e escrito pelo doutor em História e pós-doutor em poéticas visuais, Ademir Luiz, e já gerou um bocado de discussão entre os fãs ou simpatizantes da série televisiva por ser um tanto polêmico. Isso ocorre porque, em seu texto, Ademir disseca o seriado do ponto de vista do seu autor, Roberto Gomez Bolaños.
Para começar, Ademir explica que o “módico” apelido de Bolaños no México é Chespirito, que naquelas terras soa como um diminutivo para Shakespeare ou um “pequeno Shakespeare”, numa comparação aberta ao grande dramaturgo inglês. Segundo Ademir, Bolaños “é o criador de uma das mais sutis, brilhantes e temíveis representações do inferno em qualquer das artes: o seriado ‘Chaves’”. Isso mesmo, meus caros, a vila onde se desenvolve toda a trama seria um pedaço do inferno e seus personagens “pecadores amaldiçoados”, condenados a vagar infinitamente naquele plano.
Não vou reproduzir o texto inteiro aqui, pois o mesmo é bem extenso e vale muito a pena ser lido na íntegra. Então, farei um breve resumo.
No México, o programa “Chaves” é intitulado “El Chavo Del Ocho”, que traduzido para o português significa “O Moleque Do Oito”, numa referência ao número da casa na qual o protagonista mora – não, ele não mora num barril, como muitos pensam. Acontece que, o número 8 escrito deitado representa o símbolo do infinito, pois a morte é infinita: não haveria nada antes dela e nada depois dela
A vila seria então um pedaço do inferno no qual os personagens ficam eternamente repetindo as mesmas ações que os puseram ali, num ciclo vicioso e violento: “Chiquinha chuta a canela de Quico e faz seu pai pensar que o menino foi o agressor, enervado Seu Madruga belisca Quico, que chama Dona Florinda, que acerta um tapa no vizinho gentalha, que descarrega a raiva no Moleque, que atinge o Seu Barriga quando ele chega para cobrar o aluguel. Enquanto isso, o professor Girafales, queimando de desejo, bebe café, com um buquê de rosas no colo, sem desconfiar a causa, motivo, razão ou circunstância de tanta repetição.”
Outro aspecto do cenário da Vila é que trata-se de um labirinto rizomático, confuso, cuja saída leva a uma rua estreita, a uma barbearia, a um restaurante, a um parque ou a uma sala de aula apertada. Cenários como Acapulco são exceções à regra. Há também a questão da suspensão temporal, afinal, por que o senhor Barriga sempre cobraria eternamente os mesmos 14 meses de aluguél? Por que não 15 ou 16 meses? Simples, o tempo não passa naquele lugar!
Analisando os personagens, a coisa fica ainda mais esquisita. Cada um deles representaria um pecado capital e, como estão numa espécie de limbo, ficam fadados a refazer as mesmas ações.
O Chaves representa o pecado da gula, o moleque sempre insaciável que ama o sanduíche de presunto e chama seu professor de “linguiça”, numa contradição aos costumes bíblicos que relatam que a carne de porco é suja.
O Senhor Barriga representa a ganância, pois somente alguém muito ganancioso cobraria os 14 meses de aluguel todos os dias; o Quico é movido pela inveja, uma vez que os brinquedos alheios sempre são mais interessantes que os seus, apesar de serem maiores e melhores; o Seu Madruga é a preguiça em pessoa e sempre acha uma desculpa para se esquivar dos seus afazeres e não pagar o aluguél.
Professor Girafales e Dona Florinda representam a luxúria, os dois amantes que, apesar dos seus desejos incontroláveis, jamais passam da tradicional xícara de café e dos incontáveis buquês, pois estão condenados a abstinência sexual eterna. Aliás, o fato do professor Girafales em sempre acender seu charuto – mesmo na sala de aula – representa o cacoete dos amantes em fumar após a relação sexual. Uma vez que o corpo não acompanha a mente, só resta ao pobre homem fumar e fumar.
A Chiquinha é a personalidade furiosa representando a ira e que, apesar dos seus esforços, não consegue se expressar da maneira que gostaria por ser a menor da turma, logo, só lhe resta chorar; Dona Clotilde é a vaidade. Moradora do 71 ( 7 + 1 é 8, o infinito) possui um animal de estimação de nome “Satanás” e que ora é um cachorro, ora é um gato, demonstrando o aspecto transmorfo do demônio.
Jaiminho, o carteiro, seria o único representante do lado de cá. Segundo o texto, ele seria um médium e suas cartas, psicografias. O fato de viver cansado demonstra o seu tremendo esforço em vagar entre os planos e sua amada Tangamandápio, onde tudo é grande e mais bonito, não seria uma cidade, mas o próprio mundo dos vivos.
O texto original segue explicando os personagens secundário da trama como o Godinez, a Popis, a Pati, etc, e seu papel de “patronos infernais”, além de outros detalhes bem interessantes. Como já mencionado, vale a pena ler o original e se surpreender ainda mais.

FONTE : Creepypasta

Tentarei postar em breve o texto completo se o encontrar , obrigado ! , GHostface GM